terça-feira, 3 de maio de 2011

 
Justiça dos EUA vai reexaminar condenação de ex-Pantera Negra
pantera-negraUma corte federal de apelações dos Estados Unidos ordenou nesta terça-feira, 26 de abril, o reexame da sentença de pena de morte do ex-ativista do grupo Pantera Negra, Mumia Abu-Jamal. A revisão foi pedida após a constatação, pela segunda vez, de que houve erros nas orientações dadas ao júri do caso sobre a pena de morte. A revisão, que deve ocorrer nos próximos seis meses, pode anular a pena de morte, mas não vai mudar sua condenação pelo assassinato de um policial em 1981. 

Abu-Jamal, 58, foi condenado em 1982 à pena de morte pelo assassinato a tiros do policial branco Daniel Faulkner. Ele sempre negou ter cometido o crime, que se transformou em uma causa célebre dos críticos da pena capital. A defesa alegou que houve irregularidades durante os procedimentos legais do julgamento, quando descobriu-se que o júri havia sido manipulado para não considerar as circunstâncias atenuantes contra a pena de morte.

A Corte de Apelações da Pensilvânia decidiu então, em 2008, adiar a pena capital de Abu-Jamal, decisão que levou três anos de processos legais e à intervenção da Suprema Corte de Justiça dos EUA. Nesta terça-feira, a mesma corte decidiu pedir novamente por uma nova audiência de sentença.

O procurador público Seth Williams disse que considerará um novo apelo à Suprema Corte contra a medida. Já os advogados de defesa consideraram a decisão uma forma de tratar do "infortúnio capítulo da história da Pensilvânia".

CRIMEFaulkner, 25, patrulhava as ruas quando parou o irmão de Abu-Jamal, William Cook, por uma infração de trânsito, aproximadamente às 4h. Abu-Jamal, que trabalhava como taxista na época, correu até o local. A Polícia encontrou o ativista ferido por um tiro da arma de Faulkner, que por sua vez foi morto com vários disparos. Um revólver calibre 38 registrado por Abu- Jamal foi encontrado no local, com cinco cartuchos disparados.

2 comentários:

Humberto Fonseca disse...

nossa manooooo
tem que soltar esse cara pra ver se ele mata mais uns deiz e vinga o bin...

eh nois muleke!!!

abraX

VillorBlue disse...

O Mumia Jamal esta preso a varios anos, no corredor da morte, acusado de ter morto um policial, detalhe; ele sempre disse ser inocente, nunca foi encontrado nenhuma arma com ele, e varias testemunhas disseram sobre julgamento ser ele inocente.
Mesmo assim a injustiça norte americana quer mata-lo.
A opinião publica mundial manifesta apoio a sua libertação a vários anos (inclusive a web radio o proletário), com uma pressão internacional sem igual.
este é o pais que se diz paladino da justiça e liberdade e se julga dodo do planeta e gentes.